Uma das coisas mais interessantes na fotografia é poder criar imagens e dentro dessas imagens poder “falar” algo, transmitir alguma mensagem.

Existem muitos jeitos de fazer isso e uma das melhores é o controle do foco.

Com o controle do foco você direciona o que a pessoa vai olhar, desviando a atenção dela para o ponto ou assunto que você deseja. Usando um trocadilho bem ruim, mantendo a pessoa focada no que você quer.

Imagine que você esta no meio de uma multidão e vê uma pessoa interessantíssima e quer que todos compartilhem dessa visão. O jeito mais garantido que todos que vejam a foto vejam exatamente o que você vê, é focando nessa pessoa e tirando o foco das demais.

Fiz alguns exemplos para ilustrar.

A foto acima Han Solo, Obi Wan Kenobi e R4P17 estão com foco. Você vê os três em conjunto, como se estivessem com uma ligação invisível entre eles.

Abaixo mudei um pouco o foco, concentrando apenas no boneco do R2D2.

A imagem mudou completamente apesar de mudar muito pouco. Você poderia imaginar que R4P17 está indo embora.

Mais uma mudança de foco.

E a mais uma vez, a imagem muda completamente. Dessa vez o personagem central é o Obi Wan.

Uma última mudança de foco.

E a seqüência está completa. Agora o personagem principal é o Han Solo que poderíamos imaginar está vendo seus companheiros irem embora.

Controlando apenas o foco podemos mudar toda a compreensão do que está acontecendo e, principalmente, dirigir o olhar para o ponto exato que queremos.

Basicamente o foco é controlado pela abertura da objetiva. Essa abertura controla a quantidade de luz que entra na câmera.

Didaticamente, quanto mais fechada a objetiva, menos luz entra e aumenta a profundidade de campo, que bem a grosso modo, quer dizer até onde a sua câmera consegue ver com nitidez.

Tecnicamente é um bocado mais complicado que isso e existem até cálculos matemáticos complexos para determinar a relação entre a abertura da objetiva e a profundidade de campo.

As fotos que fiz para ilustrar eu usei uma lente 50mm. Na primeira foto eu usei uma abertura muito pequena f/32 e como diminui a quantidade de luz, tive que aumentar o tempo de exposição para 2 segundos.

Nas demais fotos usei a mesma lente mas aumentei muito a abertura. Coloquei em f/1.8 e nessa configuração pude colocar o tempo de exposição em 1/60 segundos.

Controlar o foco requer prática e muita atenção na hora de fotografar. As vezes uma excelente foto pode não ficar tão boa se o foco não for o correto ou esconder o assunto principal.

Infelizmente nem todas as câmeras é possível controlar o foco com precisão, principalmente nas câmeras mais básicas, ela é construída para ter o máximo de foco possível.

Não brigue com os fabricantes, mas imagine você perder algumas fotos de alguma ocasião especial porque ficou desfocada. Também você não precisa comprar uma câmera profissional para ter controle de foco, algumas câmeras um pouquinho mais criativas, já oferece opções para fotos bem interessantes.

Algumas pessoas gostam de usar os filtros do Photoshop como o blur e o lens-blur para simular o desfoque. Eu não gosto, acho mais trabalhoso e principalmente não fica tão bom quanto o desfoque real.

Se quiser saber mais sobre profundidade de campo recomendo começar pelo artigo na wikipedia e treinar bastante.

2 thoughts on “Foco, ou a falta de, na composição fotográfica.”

    1. Olá Ingrid.
      Para fazer o processo basta colocar a câmera em modo manual e ir seguindo e experimentando.
      No manual da câmera tem descrito como colocar ela em modo manual.
      =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *